quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A sua vida continua a relembrar os anos de espera inglória, por Nanda Pereira



In "UNIÃO DOS ANTIGOS COMBATENTES DA GUERRA DO ULTRAMAR"
Hoje gostaria de partilhar convosco o desabafo de um elemento deste Grupo que me enviou uma mensagem para desabafar sobre se deveria ou não permanecer no Grupo, porque certos relatos mexiam muito com a sua pessoa, pois foi noiva de um militar que faleceu em Moçambique, em 1972 e, apesar de ter refeito a sua vida continua a relembrar os anos de espera inglória e sentia que não lhe estava a fazer bem estar entre nós. 

Trocámos msgs. e hoje foi com alegria que recebi esta msg que vou transcrever na integra :
"Nanda muito obrigada pelas suas palavras e compreensão. 
Eu de facto tenho andado em baixo psicologicamente e a visão de certa imagens fizeram-se reviver uma situação que me marcou para o resto da minha vida. 
Quando se tem 20 e poucos anos e todos os nossos sonhos se desmoronam por um tal acontecimento, transforma-nos. 
Dizia a minha avó que o tempo cura as meadas e é verdade! 
A vida continua a revolta passou e refiz a minha vida. 
Graças a Deus encontrei um homem maravilhoso que me faz muito feliz. 
Pensei melhor, não irei sair, manter-me-ei no Grupo, pois todos os ex-combatentes do Ultramar merecem a nossa admiração e respeito, pois jovens como eram deram as suas vidas abnegadamente, portanto desistir só por desistir, era não os merecer. 
Continuarei a conhecer as vivências daqueles que tiveram a sorte de voltar para as suas famílias e que a recordação daquelas vivências os liberte dos traumas que poderão ter trazido consigo. 
É pena que estejam tão esquecidos, mas como em todas guerras, tudo se dilui com o tempo."

A mim só me resta dizer: 
Obrigado LuÍsa por continuar entre nós.