quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

O Regresso..., por José Nobre

Nunca Atirei Pedras Aos Cães.
O Regresso.
Voltamos todos, naquela manhã de 12 de Outubro de 1969. Voltamos todos, não faltava nenhum. Um dia chuvoso e o cais de Alcântara a abarrotar de todos aqueles que nos esperavam. Milhares de braços no ar a nos acenarem, braços que se abriam, choros gritos. Não, não, vocês não morreram, vocês vão descer comigo esta escada, os últimos degraus da nossa aventura africana. Foram vinte e seis meses, caraças, não foram vinte e seis semanas ou dias.
Vamos descer juntos, nós que nunca nos separamos, quero-te ver abraçar o teu filho e a tua mulher, Amável. Quero conhecer a família do, Camilo Alves, do Bibiu e do Guerra. Vamos descer a escada deste navio fantasma, olhar para Lisboa...voltar a pisar Lisboa e gritar....Voltamos Todos. Não, não. vocês não ficaram naquela merda de picada em Cabo Delgado, naquela picada entre, Nangade e Pundanhar.....Vocês vão descer comigo esta escada. Faltam quantos degraus? Caralho, pá....foram meses e meses longe desta gente toda. Vejo o teu sorriso, Amável, ouço a pronuncia do norte do Camilo Alves. Volto a Reguengos de Monsaraz, sento-me na mesa de um café, aquele mesmo ao lado da igreja, aquele que o Bibiu falava. Ouço o alferes, Guerra, gritar,,,,estou aqui.
Voltamos todos, ninguém ficou para trás, O navio fantasma, aparece e desaparece. Mais um degrau da escada,despachem-se. Chegamos Todos. Lisboa, um dia cinzento, o dia do nosso regresso. VOLTAMOS TODOS.
Eu, nunca me esquecerei de vocês. Para os meus quatro companheiros que regressaram dentro de quatro caixas de pinho. Amável - Guerra - Bibiu - Camilo Alves.
Apontamentos - Portimão Dezembro de 1969

Sem comentários:

Enviar um comentário