quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O Pai partiu para a Guiné..., por Maria Gabriela Serrão

Partilhei de - Maria Gabriela Serrão - José Serrão
Guiné

"Um dia, porém, ali desembarcou a guerra, capaz de todas as variedades da morte.
Em diante, tudo mudou e a vida se tornou demasiado mortal." Mia Couto
...
Faz hoje, dia 11 de Novembro, 43 anos que o Pai partiu para a Guiné...
Este dia sempre foi um misto de sentimentos aqui por casa...
Umas horas do dia, o Pai mais triste...
Outras horas mais feliz...
Porque apesar de tudo, esses tempos trazem consigo também boas recordações, bons amigos, bons cheiros, bons sabores, boas cumplicidades...
Até o hábito de fumar cachimbo...

Tenho a felicidade de conhecer muitos amigos do meu Pai que com ele estiverem e apesar de não ter vivido nessa época, ouvi, recolhi e tenho fotos, cartas, bilhetes de avião, descrições, .... de alguns e principalmente do meu Pai...

Que orgulho imenso do meu Pai, do S., do M., do B.D., do I., do D., do A. e de muitos mais amigos que aprendi a conhecer e conviver...
Muitos deles nascidos naquela terra com cor de sangue e barro, mas de uma beleza imensa...
Muitos transportam AINDA (sim, pq o tempo parece não passar por eles...) a mágoa dos companheiros que lá ficaram deixados, as sepulturas que não foram visitadas, os corpos que lá permanecem, os amigos que foram fuzilados, os acordos de Argel, os negociadores (mandatados por quem?), as famílias dos militares africanos, a falta de reconhecimento por parte de alguns... de militares com uma coragem e bravura fora do vulgar (porquê? porque a cor da pele é diferente daquele que transportamos?? Nem quero opinar sobre isso...)...

Ouço muitas vezes mágoa e revolta com misto de alegria e cumplicidade...
Uma confusão de sentimentos?!
Não acho...
Parece-me que foram criados laços num determinado espaço de tempo, que não são passíveis de serem quebrados, que ultrapassam a cor da pele, a localização do solo, o distanciamento inerente aos anos ou até mesmo a religião...
Sim, porque tenho conhecido muçulmanos que mostraram-me a verdade dos Islão...
Que obviamente são contra o terrorismo e apenas praticam a sua fé...
Parece-me cada vez mais que passados 43 anos...
O tempo não apaga e só propaga a saudade de uma terra que tanto sofrimento lhes trouxe...
Mas também tanta cumplicidade!
Meu Deus!!

Agradeço o 25 de Abril também pelo facto de ter feito o meu Pai e outros regressarem...
Pois por esses dias ainda lá andavam...
Regressou com saúde, pelo menos física e assim conheceu a nossa Mãe e mais tarde constituíram a nossa família...

Mas ainda hoje chora o facto de 4 dias antes de 25 Abril 74 ter perdido um grande amigo, cujo filho ainda hoje o contacta...

Bem hajam a todos e ao Pai...
Adoro-te e sinto um orgulho imenso de todo o teu percurso...
És e serás sempre um dos meus exemplos... ponto de referência e orientação
Maria Gabriela Serrão

Nota: Escolhi esta foto tirada pelo meu Pai... Porque acho brilhante e simboliza uma paz imensa numa terra linda que viveu e vive um turbilhão de emoções... Guiné
— com José Serrão.